× iCasei

Baixe o App do nosso casamento e busque: sabrinaecleiton

Baixar

Nossa História

Destino.

Você pode escolher a palavra, mas o importante é o significado, e em nosso caso essa é a melhor palavra para descrever: Destino.
Eu (Cleiton), nasci, e pensei que viveria para sempre em Águas Frias, cidade do interior no oeste de Santa Catarina, gente aconchegante, acesso a algumas coisas, correria atrás de outras... Até que chegou o dia de fazer Vestibular.
Eu sou apaixonado por computadores desde que usei o primeiro 386 (ixi, faz tempo!), e então é óbvio que eu iria fazer Ciências da Computação. E foi então que me inscrevi no vestibular, na época era o sistema Acafe, você paga uma inscrição e escolhe dentre várias faculdades/universidades para prestar a prova. Aí entra o destino. A única faculdade com Ciências da Computação disponível era em Videira - SC (ixi, onde ficava isso eu nem imaginava!).
Algum tempo depois da prova prestada, lembro que estava com meus pais, atrás da nossa casa, chupando melancia depois do almoço, e chegou uma ligação (viva o telefone sem fio!). Era uma conhecida nossa, a Silvia mulher do dr. Clairton, dentista da família, congratulando minha mãe pois o filho dela havia passado no vestibular para Ciências da Computação! Ninguém lá em casa sabia, e foi uma festa, e claro, o que era apenas um vestibular de teste, virou faculdade prá mim.
Vim à Videira com 16 para 17 anos, e morei na casa do Dr. Alexandre Andreani, pessoa muito especial, amigo da família que ajudou muito.
Bem, vou correr um pouco aqui, pois os acontecimentos desta época não entram nessa história. Depois de muito tempo, comecei a trabalhar no Foto GeA, graças ao Wagner (que no casório vai faturar uma garrafa de Whisky, mas ainda me parece que ele trapaceou na nossa aposta!). Na época trabalhei como operador digital, logo no começo dessa folia, pois ainda trabalhávamos com negativo. Mas o importante, é que logo comecei também a fazer freelance de cameramen junto com o Márcio e o Alex.
Aqui passou-se mais um tempo entre aprendizado e outras coisas relevantes, das quais a mais importante está relatada aqui: Durante um trabalho na linha Santa Lúcia, filmávamos as Bodas de Ouro do Casal Testolin, que adivinhem! São amigos da Família Fetz. Ocorreu que o operador da câmera fixa era eu. E, gente!, foi literalmente câmera fixa. Não no casal ou na cerimônia, mas em uma linda menina de longas madeixas negras, olhos penetrantes e sorriso encantador. Ai ai... esqueci que estava à trabalho. Por sorte deste guri, a linda senhorita encontrava-se atrás do casal homenageado, portanto a câmera (e meu olhar) tinham que estar direcionados para aquele lado.
Bem, passou-se a cerimônia, mas a menina não estava no salão para a festa!  Oh castigo, oh azar! Bem, confesso que terminei a noite desapontado...
Mas, o tal destino programou tudo muito bem! Algum tempo depois, estava eu no trabalho, digitalizando fotos e negativos, fazendo restaurações, e etc., quando ouço na ante sala a secretária falando: "Ah! Fazemos esse trabalho de escaneamento sim, pode passar nessa sala..." E então quando entra a cliente, quase tive um infarto! Aquele anjo acabara de passar pela porta, com uma foto e um disquete nas mãos!
Olha, eu sempre fiz meu trabalho com muita velocidade, uma eficiência que me rendeu este emprego até hoje... mas aquele dia eu fiz o scanner trabalhar em câmera lenta! Foi tanta sorte que nem o programa estava aberto, portanto tudo demorou mais, só para aproveitar aquela companhia. Mas, não podia segurar a menina ali o dia todo, então tive que finalizar. Mas acredito que ficou muito bom, a foto está por aí em nossos PCs até hoje!
Nesta época, a minha princesa estudava no Colégio Energia, e quis o sr. Destino que junto dela estudasse uma guria que trabalhava em nosso estúdio, e, não sei por que cargas d'água a Sabrina comentou que "conheceu um menino do GeA" e a tal guria disse que me conhecia, e forneceu o "currículo".
Assim, deu jeito o destino de nos deixar ao lado um do outro, pela primeira vez.
Trocamos telefonemas, e-mails, pensamentos, sinais de fumaça, e várias outras tipos de conversa disponíveis na época.
Depois começamos a falar pessoalmente, e ela ia até a loja, ou eu à levava para casa depois da aula... Tem uma passagem, que foi praticamente o primeiro beijo, que adoro relembrar. Ela foi até a loja, falamos um pouco, e na hora da despedida, no beijo costumeiro na bochecha, os rostos quase não viraram, e aquela "bitoca" no canto da boca, fez o coração tremer por horas depois, e as mãos suarem bicas. Trabalho? Não lembro se teve!
Até que finalmente chamei-a para um lanche na padaria. Glória, quando ela aceitou e fomos lá, ficar de mãos dadas e conversando... que café gostoso! E então o primeiro beijo de verdade. Céu!!!!
Foi muito bom esse período, apesar de ela ter apenas 15 anos, e eu ser mentalmente desta idade, conversávamos de muitas coisas interessantes, mas não falávamos muito de nós dois.
Então, o tal destino aprontou das suas novamente. Tive que mudar para Chapecó, para trabalhar na filial da empresa que estava recém aberta. Chapecó é próximo à Águas Frias. Ficaria perto da família, mas tão longe de minha pequena!
Bem, aí começaram os problemas de verdade. Não entrarão aqui, mas a coisa foi tão ruim, que acabamos o relacionamento. Tragédia! Hoje não entendo como isso aconteceu. Mas me parece que foi preciso, e o sr. Destino quis nos mostrar que precisávamos amadurecer mais, experimentar e sofrer mais, para vermos que éramos um do outro, nesta e em outras vidas!

Passaram-se alguns anos, entre tentativas de reatar as conversas, problemas adversos, sentimentos que não sumiam, e aquela sensação de vazio...
Então, como o Destino é generoso, estava eu à trabalhar, finalmente 100% focado nisso, depois de outros atrapalhos superados, quando o 'santo' Skype sobe com uma janelinha "Maria Sabrina Fetz lhe adicionou, deseja adicioná-la como amigo(a)?". Lembro que gelei. Parece que tudo ao redor sumiu. Levei mais de 5 minutos para entender o que estava escrito! Mas, como mágica, o ponteiro do mouse foi para o botão Adicionar, e aí começamos à conversar.
Ambos havíamos saído de um relacionamento complicado, dos quais com certeza aprendemos muito, e tínhamos tanto à conversar. E era tão fácil! Ambos entendiam um ao outro, sabiam o que havia acontecido, era como se apenas havíamos feito uma viagem de 1 mês, ficando longe apenas esse período, e então estávamos contando o que perdíamos um do outro... Essas coisas não sei como explicar, mas acontecem com tanta facilidade!
Nessas conversas foi que meu amor me contou como resolveu tentar conversar comigo novamente. Um dia ela precisou pegar umas fotos aqui na matriz da empresa em Videira, e encontrou o sr. Adriano (o proprietário, que conhece bem nossa história), e ele só precisou dizer: "Adivinha quem está gerenciando a loja para mim em Chapecó?" Definitivamente, o Destino age de formas estranhas, mas tão eficientes!
E foi, após pouco tempo de conversa, e uma conversa olho no olho, que voltamos a namorar.
Era tudo tão certo, tudo estava tão no lugar que não podia ser de outra forma.
E então, no dia 06.09.09, durante uma visita minha à Videira, após um rodízio de pizza com a família toda, na sala da residência do seu Carlos e da dona Maria, com um breve discurso que quase não saiu de tanta emoção, pedi aos queridos sogrinhos oficialmente a Sá em namoro. Foi muito bom! Teve gente que chorou e tudo, né mor?
Aí conheci muita gente legal, fizemos muita coisa juntos, a Sá fez Pós-Graduação em Chapecó, nos víamos com freqüência, e para nos congratular por estar tudo tão certo, o destino resolveu me trazer de volta à Videira, onde trabalho até hoje.
Então, este passo foi natural, decidir unir definitivamente esta vida com a mulher que é a luz que auxilia meu caminho! E foi por coincidência, folheando o calendário para um material que data 10.11.12 surgiu, e minha pequena aceitou que fosse o Nosso Dia de Dizer Sim ao Destino.
Destino. O que falar de ti, meu velho amigo! Apenas agradecer à Deus, por lhe fazer ser generoso, e por permitir corrigir nosso trajeto, por permitir pessoas tão abençoadas como as que conhecemos neste percurso iluminassem nosso caminho, e nos guiassem, como guiam ainda hoje.

O Destino, que sabemos agora, fará do dia 10.11.12 sua obra prima, com a presença de tão queridos familiares e amigos, na união de duas almas que nem quando longe souberam se separar.

 

 
 

Imagem Sobre

 
 

O Cleiton escreve tão bem que não sei o que mais comentar...

hehehe

Amor da minha vida, não há explicações para dar em relação à nossa história.

Só sei que foram 7 anos longe, sem nos falar, que fizeram a diferença e provaram que o que é pra ser nosso, está guardado.

Você amadureceu, eu também. E agora queremos construir uma vida juntos e nada mais. Nossa companhia simplesmente basta e conforta nossos corações.

E que chegue 10.11.12! smiley

 

Obs: Eis A FOTO!

Como já disse algumas vezes para algumas amigas: ainda bem que o tempo colabora com a gente! hahaha Muito bom ter achado ela aqui :D